top of page

Ilhabela inicia cadastramento de artesãos para venda de produtos em lojas do Fundo Social


O prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci e a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Maria José da Conceição, estiveram nas comunidades tradicionais de Castelhanos, Vitória e Búzios (Guanxumas e Porto do Meio) na semana passada para localizar os artesãos locais e incentivá-los a levar o artesanato caiçara para as lojas de comercialização criadas especialmente para a venda desses produtos. O secretário das Comunidades Tradicionais, Pesca e Agricultura, Ezequiel Alves, também acompanhou o prefeito nas visitas às ilhas de Vitória e Búzios.


A primeira loja já está funcionando nas dependências da sede da Fundação Arte e Cultura de Ilhabela, a Fundaci e a outra será montada num espaço público na Av. Princesa Isabel, na Barra Velha, próximo ao Banco do Brasil.


“A geração de renda das comunidades tradicionais é uma das nossas prioridades e a venda do artesanato local nessas lojas específicas é uma das novas atividades coordenadas pelo Fundo Social de Solidariedade com apoio da secretaria de Comunidades Tradicionais, Pesca e Agricultura e da Apae. Uma das várias ações que vamos fomentar nesse sentido”, explicou o prefeito.


As equipes do Fundo Social estão realizando o levantamento em todas as comunidades para localizar e cadastrar esses artesãos. O lucro da venda será revertido para as Comunidades e também para a Associação de Pais e Alunos dos Excepcionais – Apae do município.


Em Búzios (Porto do Meio), as peças são produzidas com a palha de taquaruçu e em Vitória, a partir do bambu como matéria-prima. Utensílios domésticos e de decoração são exemplos do material confeccionado pelos caiçaras. Em Guanxumas de Búzios há o cultivo do palmito juçara, cuja polpa é processada e vendida para suco e também transformada em licor. “Cada comunidade tem a sua característica. Nossa intenção é descobrir esses talentos, oferecer qualificação e insumos para que aperfeiçoem cada vez mais essa técnica de forma que possam gerar mais renda e também manter viva essa tradição”, explica Maria, presidente do Fundo Social.


O secretário das Comunidades Tradicionais, Pesca e Agricultura, Ezequiel Alves, ressalta a importância das políticas públicas de geração de renda nas comunidades. “As famílias tradicionais caiçaras têm na pesca o principal meio de subsistência. Estamos trabalhando para dar mais estrutura para esses profissionais. O artesanato é outra alternativa, que pode ajudar, inclusive, as mulheres que moram nessas localidades. Essa também é uma iniciativa necessária e muito importante”.


Mulher mais cidadã


Durante as visitas, as mulheres das comunidades também receberam kits de higiene pessoal e beleza que são entregues na área urbana durante as ações do Mulher Mais Cidadã. As crianças receberam chocolates oriundos de uma campanha de arrecadação promovida por alunos da escola municipal Senador Major Olímpio, por ocasião dos festejos da Páscoa.


Fonte: Assessoria de Imprensa/PMI

Foto: Divulgação/PMI

Comments


bottom of page