top of page

Começam as obras de alvenaria do residencial de Maresias que vai beneficiar 186 famílias


Tiveram início na quinta-feira (1º/6), em Maresias, na Costa Sul de São Sebastião, as obras de alvenaria estrutural no residencial onde serão construídos os 186 apartamentos que vão receber vítimas da catástrofe de 19 de fevereiro em caráter definitivo.


O secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SDUH), Marcelo Cardinale Branco, acompanhado do secretário executivo de Estado da Gerência de Apoio do Litoral Norte, coronel André Porto, do diretor de Engenharia da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), Silvio Vasconcellos, mais a equipe da Construtora Álya, estiveram no canteiro de obras para acompanhar o assentamento dos primeiros tijolos.


A estimativa do secretário Cardinale é que a partir de outubro já sejam concluídas as primeiras unidades. “Tivemos uma situação atípica em São Sebastião por conta da tragédia e o programa habitacional de governos anteriores foi muito ruim. O governador Tarcísio de Freitas, sensibilizado com toda a situação, permitiu ir em busca de tecnologias e formas de construir moradias populares de forma mais rápida para atender a população atingida”, destacou.


O empreendimento de Maresias está sendo produzido pela CDHU em duas etapas. Na primeira, iniciada em 24 de março, foi realizada a urbanização dos lotes com pavimentação e implantação da infraestrutura básica e outros itens. Agora, terá início a segunda etapa, com a edificação das unidades.


Na área de 12 mil metros quadrados, cedida pela Prefeitura de São Sebastião, serão construídos quatro prédios de quatro pavimentos com oito unidades habitacionais por andar. Os apartamentos têm dois dormitórios, sala, cozinha e banheiro, distribuídos em 44 mil m2 de área útil. O residencial contará também com dois centros de apoio ao condomínio.


Baleia Verde


Também estão em construção outras 518 novas moradias definitivas, no bairro Baleia Verde, em terreno com 39,3 mil m2. O conjunto será composto por 30 prédios de quatro pavimentos, 20 casas térreas, 18 unidades adaptadas para pessoas com deficiência e quatro centros de apoio ao condomínio. Os imóveis terão dois dormitórios, sala, cozinha e banheiro, distribuídos em 41 mil m2 de área útil.


De acordo com o secretário Marcelo Cardinale, a equipe da SDHU agora trabalha no projeto para a construção de outras unidades habitacionais, desta vez no segundo terreno doado pela Prefeitura no bairro Topolândia, na região central.


A SDUH trabalha ainda em estudos para a construção de novos empreendimentos na região para combater o déficit em todo o Litoral Norte, com ênfase nas áreas de risco.


Fonte: Departamento de Comunicação/PMSS

Foto: Divulgação/PMSS

Commenti


bottom of page