top of page

Caraguatatuba reforça alerta sobre cuidados para evitar contaminação pela gripe aviária


A Prefeitura de Caraguatatuba, por meio da Secretaria de Saúde, alerta a população dos cuidados ao encontrar qualquer ave silvestre debilitada com sinais de doença. Até o momento, o município tem três casos notificados, sendo um positivo, um negativo e um em investigação.


O último registro foi de uma ave migratória da espécie trinta-réis-real, encontrada doente no bairro Martim de Sá, nesta segunda-feira (15), sendo capturada pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e aguardando resultado da Secretaria Estadual de Defesa Agropecuária.


Segundo o coordenador do CCZ, Guilherme Garrido, duas das aves envolvidas são migratórias, sendo uma com resultado positivo. Quanto ao animal com resultado negativo, é uma espécie silvestre aquática e comum na região.


A orientação é que ao encontrar alguma ave debilitada, ligue para o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), no telefone 12 3887-6888, para que o órgão adote as providências cabíveis.


A influenza aviária é considerada uma doença viral altamente contagiosa que afeta, principalmente, aves silvestres e domésticas. Entre os sintomas, estão: andar cambaleante; pescoço torto; aspecto abatido; dificuldade respiratória; diarreia; alterações bruscas no consumo de água e ração nas aves de criação e redução na produção ou má formação de ovos.


A gripe aviária não é transmitida pelo consumo de carne de aves e de ovos. As infecções humanas pelo vírus da influenza aviária ocorrem por meio do contato direto com aves infectadas, vivas ou mortas. No Brasil, ainda não foi registrado nenhum caso.


Decreto estadual


A Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo em atendimento a um pedido do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento decretou estado de emergência zoosanitária no Estado de São Paulo, nesta segunda-feira (15), em caráter preventivo, por 180 dias, em razão da detecção da infecção pelo vírus da influenza aviária H5N1 de alta patogenicidade em aves silvestres no Brasil. A medida visa reduzir a burocracia nas ações de prevenção e controle da doença.


Fonte: Secretaria de Comunicação/PMC

Foto: Divulgação/PMC

bottom of page